Búsqueda

miércoles, 1 de abril de 2015

Egberto Gismonti - Arvore (1973)

Artista: Egberto Gismonti
Álbum: Arvore
Año: 1973
Género: Latin Jazz
Duración: 31:50
Nacionalidad: Brasil


Lista de Temas:
01. Luzes Da Ribalta
02. Mémoria E Fado
03. Academia De Dança:
Dança Dos Homens
Dança Das Sombras
04. Tango
05. Encontro No Bar
06. Adágio
07. Variações Sobre Um Tema De Leo Brouwer
08. Salvador

Alineación:
Egberto Gismonti / piano, guitars, woodflutes, percussion, voice
Paulo Moura / saxophone
Novelli / bass
Edson Lobo / bass
Tenório Jr. / electric piano
Ion Muniz / flute
Juan Capobianco / double bass
Paul Kern / double bass


Nosotros estamos empecinados en volarte la cabeza y te lo demostramos así, ahora con el festival a puro genio musical de Egberto Gismonti! Y este es particularmente un discazo... escúchenlo con atención en este fin de semana largo, y seguro que me lo van a agradecer. Que buenos discos que estamos publicando últimamente!... bueno, aunque la verdad es que siempre publicamos buenos discos.

About the GISMONTI 1973 album, it is probably one of the best (although they are nearly all excellent). This album his probably the best to enter into Gismonti's 70's work. It is a perfect introduction. As always with Gismonti, it is highly sophisticated, creative, inspired and emotional. It has this somewhat "rough" sounding of most early 70's Gismonti's works, but paradoxaly, it remains very elegant too. Last but not least, it has Gismonti's vocals that are so emotive and beautiful (and that we may finally miss in later Gismonti's works...). Therefore, this album is probably the best choice to become a fan of Gismonti's early work (rather than hating it!). It would be a pity to hate it as, at the end, Gismonti's early work is certainly the most fantastic and spirited he ever made.
Luigi


Bom dia amigos cultos e ocultos! Vamos iniciando mais uma nova semana musical, sempre em busca de coisas raras, curiosas e necessárias para o nosso universo fonográfico e cultural. Numa apresentação rapidinha, porque eu também não posso parar, aqui vai o disco de hoje.
Vamos com o Egberto Gismonti, compositor, multi instrumentista e arranjador dos mais renomados, figura que dispensa maiores apresentações. Temos dele este raro álbum gravado em 1973, já relançado em cd, mas sempre difícil de encontrar. O disco da árvore, como é mais conhecido, nos mostra uma fase onde o artista se divide. Começa a romper com algumas estruturas, criando composições ainda mais complexas, demonstrando uma forte tendência para a criação instrumental. Sua música, se antes já apresentava um estilo pouco comercial, passa nos anos 70 a se afastar ainda mais. Num país como o Brasil, onde a qualidade do popular é muitas vezes duvidosa, para um artista como Egberto a melhor saída é o aeroporto, em direção aos lugares onde sua música tem reconhecimento. Mas nem por isso ele abandona de vez suas origens e sua terra. O cara é um artista genuinamente brasileiro e sua arte mesmo que internacional e as vezes até erudita, nunca perde a referência verde e amarela. Egberto é talvez um dos mais completos artistas da música brasileira. Neste álbum ele conta com a parceria de Geraldo Carneiro como letrista em todas as faixas. A produção é de Milton Miranda e a direção musical do maestro Gaya. Um álbum, sem dúvida, dos seus melhores.
O arquivo apresenta duas versões, a do vinil e outra digital para comparação. Confiram o toque…
Augusto TM

Disfruten el festival gismontiano de este fin de semana largo! trataré de dejarles alguna otra cosita, y seguimos con más discos de este genio la semana que viene.



No hay comentarios:

Publicar un comentario

Lo más visitado en el mes

Aclaración...

Este espacio se reserva el derecho de publicar sobre cualquier tema que parezca interesante a su staff, no solamente referidos a la cuestión musical sino también a lo político y social.
Si no estás de acuerdo con lo expresado podrás dejar tu comentario siempre que no sea ofensivo, discriminador o violento...

Y no te confundas, no nos interesa la piratería, lo nuestro es simplemente desobediencia civil y resistencia cultural a favor del libre acceso al conocimiento (nuestra música es, entre otras tantas cosas, conocimiento).